As empresas de dietética enfrentam época de maior actividade

A sazonalidade é um dos principais problemas da dietética, mas com a chegada da primavera e, passada a Semana Santa, que começa o seu período de atividade mais intensa com os cidadãos pensando em cuidar do corpo para o verão

Segunda-feira 13.08.2018

Quinta-feira 26.07.2018

Quinta-feira 05.07.2018

A falta de três meses para que os biquínis e sungas ocupem os armários, as empresas dedicadas ao setor da dietética exibindo um sem fim de propostas que não só pretendem perder quilos, mas que, a ser possível, o faça sem ter que cozinhar.

Isso é o que propõe a empresa “Dietapack”, que oferece um serviço de entrega de refeições e jantares, criadas por uma equipe de nutricionistas, de forma que o único trabalho que o cliente deve fazer é comer.

Estes menus, com base na dieta mediterrânica, chegar a qualquer ponto de Portugal, embora Madrid e Barcelona concentram 70 % dos envios, explicou à Efe o diretor de “Dietapack”, Afonso Matosas, que também especificou que 80 % de seus clientes são mulheres.

“Por um lado, nós fornecemos os principais alimentos que devem estar no dia-a-dia, e, para o resto da jornada, damos uma prescrição médica de que você tem que fazer”, diz Matosas.

Outro dos serviços especiais dietéticos que está revolucionando o setor é o chamado “coaching nutricional”, que inventou a figura do “treinador-pessoal-alimentar”.

Trata-Se de uma disciplina relativamente moderna, que surgiu nos anos setenta, quando Timothy Gallwey, capitão da equipe de tênis de Harvard, ele se deu conta de que o pior aliado dos atletas era a sua própria mente e escreveu o livro “The Inner Game”, destinado a ajudar a superar os bloqueios e obter uma maior concentração e desempenho no jogo.

Precisamente, este fato é o que o diferencia do resto de métodos especiais dietéticos clássicos, devido a que o “coaching nutricional” é um método de crescimento pessoal, com foco na realização de metas concretas, situado a meio caminho entre as fórmulas de auto-ajuda e os sistemas de treino desportivo.

Por isso, esta proposta não está apenas voltada para perder peso, mas para entender como comemos, o que faz mal, que hábitos você tem que mudar e que outros novos, há que incorporar, e tudo isso sem falar de dietas, mas de “planos de treino nutricional”, de acordo com a doutora Paula Rosso, especialista em “coaching nutricional” de Corpo M+C.

Para os que optarem por emagrecer da forma mais económica, os livros de emagrecimento se posicionar como uma das opções mais procuradas: “A enzima prodigiosa”, de Hiromi Shinya (editorial Alamah), e “Seis semanas para ser um pibón”, de Venice A. Fulton (Livros Cúpula), são alguns dos títulos que estão causando mais furor dentro e fora de nossas fronteiras.

(Não Ratings Yet)
Loading…

Leave a Reply