As discussões do casal voltam para o Natal

Chegam as luzes nas ruas, os pinheiros decorados, os polvorones e marzipã…de fato, já está aqui o Natal. Mas, como sentam nestas festas as relações de casal? A presença da família, jantares em casa dos sogros, ou a crise do bolso são fatores que influenciam delas e fazem com que, nesta época, aumentam as discussões, mesmo as separações

EFE/EPA/Kimimasa Mayama

Artigos relacionados

Quarta-feira 05.09.2018

Terça-feira 04.09.2018

Segunda-feira 27.08.2018

Com quem passar a noite de Natal?, onde comer no dia de Natal?, como receber a sua sogra uns dias em casa? Estas são apenas algumas das perguntas que as pessoas se colocam quando chegam estes dias frios.

De acordo com Héctor Galvan, psicólogo e diretor clínico do Instituto Madrid de Psicologia, “o Natal pode ser uma fonte de desgaste e de discussões, de fato, é comum que nesta época tenha até mesmo separações e divórcios”.

Do mesmo modo que acontece quando chega o verão, as estatísticas apontam para que no Natal as rupturas de casal também aumentam, já que nos períodos de férias, se criam conflitos que se alongam. São confrontos “a posteriori”, eles são armazenados, e, no final, o casal explode, são problemas que são criados por acumulação.

O que acontece é aparentemente simples: aparece o Natal, há mais tempo para passar com o casal e se você já tem problemas de fundo, então eles pulam para a luz. Mas de acordo com o psicólogo, há outros fatores:

  • A família: parece que todas as famílias devem conviver e refletir a típica típica do natal, mas isso é só teoria. A realidade é que não há muitas estão livres de ros. Esta situação gera uma frustração em casais que desencadeia em discussões contínuas.
  • A crise econômica: Crise no bolso, crise no casal. Muito pouco tem que ver com a realidade, o que vemos nos cartazes promocionais, anúncios de televisão ou as vitrines das lojas. Temos que permanecer em presentes, jantares, saídas…as expectativas são perdidos e que são gerados: aborrecimentos no casal.

Por que o cordeiro vem recheado de discussões?

Onde jantar na Véspera do ano novo, com qual família passar a noite de Reis, a festa do dia de fim-de-ano, saímos de viagem para a neve…estes são alguns dos temas que os casais discutem, quando se aproximam as férias de natal.

O diretor clínico do Instituto Madrid de Psicologia recomenda “estabelecer um pequeno hábito, de forma que não tenha que negociar cada ano, sabendo que é muito difícil estar de acordo”.

Mas também é verdade que se o casal está bem, não têm problemas de fundo e sabem chegar a acordos facilmente, o Natal não tem porque trazer carbono: para muitos casais é sinônimo de felicidade e amor.

Uma pausa no Natal

Normalmente as festas nesta época estão prescritas a cada ano: já se sabe onde jantamos cada dia, com a família que comemos e onde nos damos presentes, mas por que não nos colocamos em dar uma mudança radical em nossa maneira de celebrá-lo? Uma fuga é o plano perfeito.

Esta solução é uma forma também de que o casal tenha mais tempo para sua própria intimidade. Os compromissos com os amigos, os pais, os avós…e, claro, a presença de crianças durante todo o dia “podem ser uma fonte de estresse e frustração”.

Em muitas ocasiões esta frustração de que fala o psicólogo Galvan, paga-se com o casal, “é algo que fazemos sem perceber, nós, como terapeutas, propomos que se vejam um ao outro como apoio para buscar tempo para mimar-se, acariciar-se…”

Os reis magos deixam-te alguns conselhos

O psicólogo Héctor Galvan se põe na barba e nos traz algumas dicas para que este Natal tenha menos discussões em casais:

  • Um casal se mantém porque os dois gostam um do outro: parece uma questão muito simples, mas é bastante complicada quando se leva à prática. Seria interessante que ao longo do dia tivesse pequenos momentos para lembrar ao casal tão especial que é para ti. Um comentário, um beijo, um abraço…são gestos que não custam nada e, no entanto, o dão tudo.
  • Tentar quebrar os moldes: nas relações sexuais muitos casais pensam que não há tempo, e se eu pudesse ter já nem tomam a iniciativa. Muitas vezes o casal não se coloca sair da linha marcada, mas a paixão não conhece de horas ou moldes…surge e não se pode controlar.

Por que não enfrentar o Natal em casal de outra maneira? Sorria, aproveite, tenha gestos de amor e de carinho, pois, como diz o psicólogo, “ao final uma relação de casal se tem para desfrutar com a outra pessoa”.

Verão, outono, Natal…o que mais dá o que diz o calendário, o que importa é o amor pelo casal, que esse amor não olha se há família, crianças, comida, dinheiro… é incondicional.

(Não Ratings Yet)
Loading…

Leave a Reply